Minimalist consumption when welcoming a baby

en. Welcome to the new section on the blog! This year I’ll welcome baby M, so I decided to create a new category, baby+kids, to share with you my journey as a minimalist mother. In this first post, I decided to write about welcoming a baby with conscious consumption.

There’s a lot out there you don’t actually need for your newborn, despite the marketing strategies tell you the contrary. Maternity is an industry full of things to use for a very limited time and capable of making people buy a lot of unuseful stuff, so I decided to share with you my top 7 tips for minimalism consumption when you’re welcoming a baby:

The art of simplifying
Try to simplify and keep things to a minimum right from the beginning: maternity clothes, baby clothes, accessories, toys, furniture… I looked for a minimalist maternity list on-line and once I found it I started adapting it to my lifestyle – unfortunately, the list is not available anymore. You can even use your own list to keep track of the costs.

Maternity clothes – before getting too excited to buy maternity clothes check what you already have at home that you can use. I’m sure there are some clothes like shirts, dresses, pullovers that you can use while pregnant. In case you need to buy something, try to find a style you like and preferably something that fits you now and after the pregnancy.

Not sure if you’ll need it? Don’t buy it (for now)
In case you’re not sure if you’ll need something, don’t buy it and wait until the baby is born to see if you really need it or not. Especially for people who live in a city, I’m sure you can easily find everything you need for you and your baby. For example, I don’t know if I’ll need a breast pump or not so I decided to wait until the baby is born and see how the breastfeeding goes to make a decision.

Our PlayUp order came wrapped in a beautiful fabric remnant, so we decided to ask our dressmaker to make a muslin swaddle for baby M.

Ask your beloved ones if they can lend you some items
Check with your family, friends, and colleagues if they have things to lend to you. Friends of ours invited us to brunch at their place so we could pick baby clothes, toys, accessories, maternity clothes, that we would like to use with our baby – I personally find it important to pick things you like. They had so many beautiful clothes that we’ll not buy anything until baby M is 6 months old. A. and I even brought some clothes and toys from our parent’s homes, they used to be ours when we were little kids.

Thrift & Second hand
Buying thrift and second hand is more and more common, you can find “Good – like new” stuff at Flea Markets (CH), on Facebook Marketplace, at second-hand websites like Tutti (CH), Ricardo (CH), OLX (PT) and Kid to Kid (PT).
I have a Stokke Tripp Trapp chair for around 20 years, probably it’s the first model of the chair. This means the new accessories (baby-set and pillow) don’t work with my chair, but I found the proper ones. Where? at a second-hand website and I’m so happy.
Maternity clothes are something worth buying thrift as they’ll be used for a very limited time and for this reason I’m sure you can find “good as new” stuff for good deals.

Note: don’t buy second-hand kids’ shoes. The shoes adapt to the feet for that reason, it’s not very good for your child to use shoes that are already adapted to someone’s feet. If the shoes were never used then it’s ok to buy them thrift.

Flexi bath, Stokke. We bought it second hand on Facebook Marketplace. Besides being foldable so you can store it everywhere and you can open the lid to empty it.

Buy long last things
I’m a huge fan of items that somehow you can upgrade and use for many years. For example, the Stokke Tripp Trapp chair you can use from newborn to adults. Another good example, the BabyBay co-sleeper bed can be used from newborns to kids. When choosing, try to find long-lasting items (“Quality over quantity”) that you can adapt to several phases of your baby/kid.

Explain your beloved ones your principles
It’s really important to explain to your beloved ones what do you think, this will avoid certain misunderstandings and keep you from receiving things that don’t fit in your ideals. I know it’s difficult to go against the norm and tell your family and friends that you don’t want this or that, but it’s something necessary in case you want to avoid overconsumption.

Opt for Fairtrade & Conscious brands
As future parents, you also want to pick some beautiful and comfy clothes for your own child. You want to be free to pick the pattern, the color, the material, the model you like… don’t worry that’s completely normal. When so, why don’t you buy from fair trade and/or conscious brands?!
There are plenty of beautiful brands, which work hard to respect the environment, the employees, the animals, and those brands deserve to be supported. Some of my favorites are Play Up (PT), Organic Zoo (UK), CamCam (DK), Phil&Phae (NL) and Monkind (DE).

Me 25 weeks pregnant. Beanie: Elementy; Scarf: Benetton (10 years); Dark Shirt: Massimo Dutti; White sleeve: Organic Basics; Pregnancy trousers: H&M (thrift here); Socks: Hansen from Basel; Shoes: Lacoste (5 years)

pt. Bem-vindos à nova secção do blog! Como este ano vou dar as boas-vindas ao baby M, decidi criar uma nova categoria, baby+kids, para partilhar contigo a minha jornada como mãe minimalista. Neste primeiro post, decidi escrever sobre como receber um bebé em modo consumo consciente.

Um pouco por todo o lado, somos bombardeados por mensagens de artigos que não são de todo essenciais para a mãe e bebé, apesar de as estratégias de marketing dizerem o contrário. A Maternidade é uma indústria de coisas com um tempo de vida útil muito curto e capaz de levar as pessoas a comprarem objetos que nunca chegam a ser utilizados. Por isso decidi partilhar contigo 7 dicas para um consumo minimalista quando nos preparamos para receber um bebé:

A arte de simplificar
A primeira dica é tentar simplificar e minimizar o mais possível desde o início: roupas de grávida, roupas de bebé, acessórios, brinquedos, mobiliário… Eu comecei por procurar uma lista de maternidade na internet – infelizmente já não se encontra disponível – e adaptei-a ao meu estilo de vida. Até podes usar esta lista que criaste para teres uma noção de quanto dinheiro é que já gastaste.

Roupas de grávida – antes de te entusiasmares com a compra de roupa nova vê o que tens em casa e que podes usar durante a gravidez. Tenho a certeza que há algumas peças de roupa como camisolas, vestidos e t-shirts que podes usar. No caso de teres de comprar algo, tenta comprar coisas que possas usar após a gravidez.

Não tens a certeza se vais precisar? Não compres (por agora)
Caso não tenhas a certeza se vais precisar ou não de alguma coisa espera até o bebé nascer e para veres se realmente precisas ou não. Em particular para pessoas que vivem numa cidade, tenho a certeza que rapidamente encontras aquilo que precisas para ti ou para o bebé. Por exemplo, eu não sei se irei precisar de uma bomba de extração de leite, por isso decidi esperar até o bebé nascer e ver como corre a amamentação para tomar umas decisão.

Baby clothes

Pergunta aos mais próximos se têm coisas para te emprestar
Pergunta à família, amigos e colegas se eles têm coisas para te emprestar. Uns amigos nossos convidaram-nos para um brunch em casa deles para escolhermos o que queriamos desde roupas de bebé, brinquedos, acessórios, roupas de grávida – eu pessoalmente penso que é importante os futuros pais fazerem uma seleção do que realmente gostam. Como eles tinham tanta roupa que nós gostámos, não vamos precisar de comprar roupa até o baby M ter 6 meses de idade. Eu e o A. até trouxemos algumas roupas e brinquedos de casa dos nossos pais, que eram nossos quando eramos pequeninos.

Compra em segunda mão
Comprar em 2ª mão é cada vez mais comum, podes encontrar coisas “como novas” em Flea Markets (CH), no Facebook Marketplace, em sites como o Tutti (CH), Ricardo (CH), OLX (PT) e a Kid to Kid (PT).
Eu tenho uma cadeira Tripp Trapp da Stokke há aproximadamente 20 anos, provavelmente o primeiro modelo da cadeira. O que significa que os novos acessórios (kit de bebé e a almofada) não funcionam na minha cadeira, mas felizmente encontrei os acessórios certos. Onde? Num site de venda de artigos em segunda-mão, não podia estar mais feliz.
Roupas de grávida é algo que vale a pena comprar em segunda mão pois serão item que serão usados por um curto periodo de tempo e por essa razão de certeza que encontras coisas praticamente novas a um bom preço.

Nota: não compres sapatos de criança em 2ª mão. Os sapatos de criança adaptam-se à forma do pé e não é muito bom para o teu filho usar sapatos que já estejam com a forma do pé de outra criança. Claro que se os sapatos nunca tiverem sido usados não há problema nenhum.

The soft book was mine when I was a baby and the Giraffe was from the son of friends of ours.

Compra coisas que durem
Eu sou mega fã de coisas que de alguma forma se possam adaptar e usar por muitos anos. Por exemplo, a cadeira Tripp Trapp da Stokke pode-se usar desde recém-nascido até adulto. Outro bom exemplo, é a cama BabyBay que pode ser usada de recém-nascido a criança. Quando escolhes tenta encontrar produtos duráveis (“Qualidade em vez de quantidade”) e que se adaptem às várias fases do bebé/criança.

Explica os teus princípios ao teu núcleo mais próximo
É muito importante que lhes expliques o que pensas, isto irá evitar mal entendidos e prevenir que recebas coisas que não precisas ou que não se encaixam nos teus principios. Eu sei que é difícil ir contra à norma e explicar à família e amigos que não queres isto ou aquilo, mas é algo necessário para se evitar o consumo desnecessário tão típico destas circunstâncias.

Opta por marcas conscientes e de comércio justo
Como futuro projenitor, é normal teres vontade de escolher roupas bonitas e confortáveis para o teu filho. Queres ter a liberdade de escolher o padrão, a cor, o material, o modelo que gostas… Quando assim for, porque não apostares em marcas conscientes e de comércio justo?!
Hoje em dia já há imensas marcas que trabalham de forma árdua para respeitar o ambiente, os seus trabalhadores, os animais… Essas marcas também merecem o nosso apoio. Algumas das minhas favoritas são a Play Up (PT), Organic Zoo (UK), CamCam (DK), Phil&Phae (NL) e Monkind (DE).

Nota: sobre este tema há dois episódios de dois podcasts que valem muito a pena ouvir, Maternidade sem desperdício da Catarina Barreiros e Maternidade minimalista da Joana Guerra Tadeu.

Ferm Living rug (thrift)

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Share via
Copy link
Powered by Social Snap